William Wallace é executado em Londres

No dia 23 de agosto de 1305, foi executado em Londres o herói escocês Willian Wallace. Muitos se lembram deste personagem do filme "Coração Valente" (BraveHeart - 1995), protagonizado e dirigido por Mel Gibson no cinema, todavia o personagem de fato existiu e foi o líder da resistência escocesa à ocupação inglesa.

A liderança de Willian foi indispensável para a independência da Escócia, que seria restabelecida posteriormente por Robert the Bruce. A revolta escocesa se iniciou após Eduardo I da Inglaterra se auto-declarar rei da Escócia afim de não perder o controle daquele país depois que o rei John Balliol, da escócia, renunciou. Eduardo I oprimia o povo da escócia com severas leis e abusava na cobrança de impostos.

Visto que a maioria dos revoltados escoceses eram camponeses e fazendeiros, eles não tinham preparo nem qualquer treinamento militar. Willian Wallace surgiu para suprir essa necessidade. Após a morte de seus pais, Willian viajou pela Europa com um tio, aprendeu diferentes idiomas e provavelmente recebeu treinamento militar, já que este seu tio, pelo que dizem, teria sido um cavaleiro templário.

Após retornar para a Escócia, Willian se casou com Marian Braidfoot, mas viu sua própria esposa se tornar vítima da tirania de Eduardo I e da ocupação inglesa (diferente do que é contado no filme, a morte da esposa provavelmente foi uma vingança contra atos de rebelião da parte de Willian Wallace). Daí por diante Willian liderou exércitos escoceses em várias batalhas, a mais famosa delas é a "batalha da ponte de Stirling", sobre o Rio Forth, em 11 de setembro de 1297. Neste combate 2.300 escoceses combateram 12.000 ingleses, incluindo 2.000 homens de uma forte cavalaria e venceram utilizando estratégia militar e a ponte, que apenas permitia que dois cavaleiros passassem lado a lado por vez.

Em março de 1298, Willian foi feito "Alto Protetor da Escócia (ou, Sir)" enquanto efetuava uma série de ataques ao norte da Inglaterra. Tais ataques não estavam diretamente ligados à independência da Escócia mas serviram para levantar o moral dos exércitos escoceses, que se engajavam mais. Mas logo, em julho de 1298, Willian e seu exército se encontrou com o exército inglês liderado pelo próprio rei Eduardo I, nos campos de Falkirk. Willian perdeu a batalha e seu espírito de "protetor da Escócia", título que renunciaria.

Já em 3 de agosto de 1304, Willian foi capturado por John Mentieth, um escocês que traíra a causa algum tempo antes, partindo para o lado de Eduardo I da Inglaterra. Willian foi enviado à Londres onde foi julgado e sua sentença lida em público (como de costume na época). O povo de Londres que fora levado a acreditar que Willian era apenas um fora da lei assassino de ingleses inocentes, atirava comida podre em Willian enquanto o xingavam. Após ser condenado sem direito a defesa, Willian foi executado de forma cruel; enforcado até perder a consciência, estripado vivo, teve as entranhas queimadas enquanto ainda estavam presas a ele e esquartejado. Após sua morte seus membros foram enviados para 5 locais diferentes, sua cabeça ficou exposta na ponte de Londres.

A igreja católica escocesa defende a canonização de Willian desde a década de 1980, mas o assunto é controverso

Comentários