"O Poderoso Chefão" estréia nos cinemas

Estreou em 15 de março de 1972, aquele que é considerado por muitos, o melhor filme de todos os tempos – O Poderoso Chefão.

A estreia ocorreu inicialmente em Nova Iorque, só depois foi acontecer em outras partes dos Estados Unidos e do mundo. No Brasil, apenas estreou em 7 de julho do mesmo ano.

A obra, dirigida por ninguém menos que Francis Ford Coppola, é uma adaptação do livro, de mesmo título, escrito por Mário Puzo e publicado em 1969. Coppola e Puzo adaptaram o roteiro para o cinema em conjunto.

O filme conta a trajetória de Michael Corleone, interpretado por Al Paccino, filho de um poderoso mafioso de origem italiana que vive nos Estados Unidos. A princípio Michael se mostra resistente a entrar para a máfia, mas após a morte do irmão mais velho e de um atentado que quase matou seu pai, Michael se vê obrigado a aceitar a posição de Don Corleone, o “chefão” da família Corleone, com a posição, Michael assume também os negócios fora da lei da família. Isso tudo em meio a uma trama de vingança, dramas pessoais e romances nada convencionais.

Além de Al Pacino, no papel de Michael Corleone, ninguém menos que Marlon Brando (considerado por muitos o melhor ator de todos os tempos) integra o elenco do filme interpretando Don Vito Corleone, pai de Michael. No elenco ainda estão James Caan, que interpreta Santino “Sonny” Corleone; Robert Duval, que está excelente no papel de Tom Hagen, o advogado Consigliere (Conselheiro em italiano) de Don Corleone; Diane Keaton, no papel de Kay Adams; Talia Shire (a Adrian da série de filmes do Rocky Balboa) no papel de Connie, entre outros.

Todos estão excelentes no filme, interpretações impecáveis, até mesmo Lenny Montana, que interpretou o Luca Brasi, que nem era ator e sim um lutador profissional convidado para participar do filme devido seu tamanho. A cena em que Luca Brasi ensaia para conversar com Don Corleone, no inicio do filme, não se tratou de uma interpretação, mas sim de um ensaio real por parte de Lenny Montana, que estava nervoso em contracenar com Marlon Brando. Coppola deixou a câmera ligada, gravou a cena e incluiu na edição final.

A música, que sempre foi um dos mais conhecidos hinos do cinema, foi composta por Nino Rota, que era um compositor nascido na Itália que levou o Oscar de melhor trilha sonora no filme "O Poderoso Chefão II" (1974), prêmio que foi dividido com Carmine Coppola, que era pai de Francis Ford, o diretor de "O Poderoso Chefão" e de Talia Shire, que também está no elenco.

Uma curiosidade interessante do filme é que na cena em que uma cabeça de cavalo é colocada na cama de um dos personagens, a cabeça é real, o grito do personagem também, o ator gritou horrorizado pois não sabia que uma cabeça de verdade seria colocada ali.

A produção do filme custou 6 milhões de dólares e lucrou 135 milhões apenas nos Estados Unidos até 1997.

"O poderoso Chefão" foi indicado a onze Oscars e levou três: Melhor filme, melhor ator, para Marlon Brando (que não aceitou o prêmio) e melhor roteiro para Coppola e Puzo.

Comentários