Anunciada a obra literária de Hitler - Mein Kampf

No dia 18 de julho de 1925 foi anunciada a publicação do primeiro volume de Mein Kampf - "Minha Luta", em português - um livro escrito por Hitler, enquanto estava na prisão de Landsberg. Apesar de o livro se tratar de uma obra da auto-biográfica, Hitler não entrou em detalhes de sua vida pessoal, mas focou em um período curto de sua vida e foi bem específico quanto aos pontos que queria abranger. O livro originalmente se chamaria "Quatro anos e meio de luta contra mentiras, estupidez e covardia", mas o título não agradou os editores que acharam o título muito complicado.

As ideias de Hitler expressas neste livro expunham pensamentos que não eram originais de Hitler. Eugenia e antissemitismo por exemplo; Francis Galton utilizou o termo eugenia pela primeira vez em 1883 e a prática antissemita se perde pela história. Além de eugenia e antissemitismo, Hitler pregava outras ideias que foram adotadas pelo partido nazista, tanto que o livro foi chamado na época, e é até hoje, de Bíblia Nazista.

Mein Kampf foi banido depois que os aliados venceram a guerra em 1945 e os direitos do livro concedidos ao Estado da Bavária. Recentemente, em janeiro de 2016, depois que os direitos autorais do livro expiraram (pela lei da Alemanha, direitos autorais de uma obra expiram 70 anos após a morte do autor), o livro foi editado e publicado novamente causando polêmica, já que em alguns lugares da Alemanha é proibido até mesmo se citar o nome Hilter em público. Os responsáveis pela reedição do livro, que desta vez vem com anotações pós-obra pronta, dizem que a intenção da reedição e lançamento do livro é provar, dentro de um contexto histórico, que Hitler utilizava meias verdades e argumentos tirados de lugar nenhum para promover o nazismo. Para dificultar a venda de edições atuais sem anotações, a nova edição será publicada na internet gratuitamente.

Visto que as ideias expressas no livro original eram pensamentos já conhecidos na Europa desde o século XIX até o meio do século XX, era comum se presentear um ente querido com uma cópia de Mein Kampf, desde recém-casados até recém-nascidos e alunos de escola primária.

Mein Kampf vendeu 228 mil cópias entre 1925 e 1932. Em 1933, primeiro ano de Hitler como Chanceler da Alemanha, o livro vendeu mais de 1 milhão de cópias.

Comentários