Nasceu o ex-presidente Café Filho

Nasceu no dia 3 de fevereiro de 1899, político brasileiro e ex-presidente – Café Filho. João Fernandes Campos Café Filho nasceu na cidade de Natal (ou numa cidade vizinha chamada Extremoz, os historiadores não tem certeza), no Rio Grande do Norte e foi o único presidente potiguar até hoje.

Um fato pouco citado é que antes de ser político, jornalista ou advogado, Café filho ajudou a fundar o clube de futebol Alecrim, de Natal, e jogou no time na posição de goleiro entre 1918 e 1919.

Sua primeira experiência política ocorreu logo depois, em 1923, na ocasião foi candidato a vereador de Natal, mas sem sucesso, tentou novamente em 1928 quando foi derrotado novamente. Mais tarde, em 1934 foi eleito deputado federal, ocupou o cargo de 1935 a 1937. Foi eleito novamente deputado federal em 1945, ficou no cargo de 1946 até o fim do ano de 1950, ano em que assumiu a vice-presidência do Brasil.

Em 1950, Café filho havia sido indicado por Ademar de Barros, então governador de São Paulo para a vice-presidência contanto que apoiasse a candidatura de Getúlio Vargas. Café Filho não parecia ser o candidato ideal imaginado por Getúlio ou seu partido devido ao fato de ele ser protestante e apoiar ideias consideradas esquerdistas, como o aborto por exemplo, isso afastava o apoio dos militares e o da igreja católica. Por fim, com a pressão de Ademar de Barros, Getúlio cedeu e a candidatura de Café Filho foi formalizada.

Nas eleições de 1950 a eleição para o vice era desvinculada da eleição para presidente. Café filho conseguiu sua eleição para vice, com um número de votos significativo sobre o segundo colocado e se elegeu na mesma chapa de Getúlio e acumulou o cargo de deputado federal, para qual foi eleito novamente.

Enquanto vice, tanto ele quanto Getúlio enfrentaram graves crises, principalmente depois do atentado da rua Toneleiro.

Após o atentado da rua Tonelero, o país entrou em grave crise política. Café Filho sugeriu, então, a Getúlio Vargas, que ambos renunciassem ao governo simultaneamente, abrindo as chances para um governo interino de coalizão. Getúlio disse a Café que iria consultar alguns amigos e pensar a respeito da proposta.[10] Getúlio Vargas consultou o ministro da justiça, Tancredo Neves, que recomendou rejeitar o plano, afirmando que era um golpe de Café Filho.[11] Getúlio avisou a Café Filho que não renunciaria. Café Filho respondeu que, rejeitada sua proposta, não devia mais lealdade a Getúlio: "Caso o senhor deixe desta ou daquela maneira este palácio, a minha obrigação constitucional é vir ocupá-lo." (trecho retirado do Wikipedia).

Dezenove dias depois, em 24 de agosto de 1954, Getúlio Vargas cometeu suicídio deixando o cargo vago para café filho.

Café filho exerceu a presidência por quatorze meses marcados por instabilidade econômica e crises politicas que já vinham de governos anteriores. Tentou combater a crise econômica com limitação do crédito e redução das despesas públicas, além da retenção automática dos impostos de renda. Outras medidas importantes foram tomadas neste curto período.

Em três de novembro de 1955 teve de se afastar da presidência devido a um distúrbio cardiovascular, no dia oito de novembro substituído por Carlos Luz. Assim que se recuperou do distúrbio, tentou reassumir seu cargo, mas foi impedido pelo congresso nacional em vinte dois de novembro de 1955.

Comentários