Morreu o roqueiro brasileiro Cazuza

Nascido em 4 de abril de 1958 no rio de janeiro, Agenor de Miranda Araújo Neto – o Cazuza – foi ídolo de toda uma geração. Foi vocalista e principal letrista da banda Barão Vermelho uma das bandas de Rock mais influentes do Brasil, ao lado de bandas como Legião Urbana, Paralamas do Sucesso e Titãs, todas formadas nos anos 80. Além disso, Cazuza era compositor e poeta.

Cazuza nasceu no meio artístico, era filho de um produtor fonográfico, João Araújo, e da cantora Lucinha Araújo o que levou Cazuza a ter convívio frequente com grandes nomes da música brasileira desde muito jovem. Depois de estudar em colégios tradicionais do Rio de Janeiro, foi aprovado no vestibular para o curso de comunicação, isso devido o pai ter lhe prometido comprar um carro, caso ele fosse aprovado. Cazuza foi aprovado, mas desistiu do curso depois de apenas três semanas.

João, seu pai, criou para ele um cargo na gravadora Som Livre, lá ele ouvia fitas enviadas por novos cantores e bandas e também atuou como assessor de imprensa da empresa. Cazuza também sofreu grande influência artística do exterior em sua arte. Apesar de já escrever poesia em casa desde a adolescência, Cazuza, mais tarde, aprendeu a apreciar e a estudar bandas inglesas como Led Zeppelin, Janis Joplin e Rolling Stones. Estudou fotografia nos Estados Unidos, fato que também influenciou sua arte.

De volta ao Rio, Cazuza foi convidado para participar da formação de uma banda que se organizava no bairro do Rio Comprido (indicado pelo cantor Leo Jaime), isso depois de ter participado de um grupo de teatro onde cantava ao vivo. Essa banda da qual ele ajudaria na formação se tornou o Barão Vermelho.

No “Barão”, Cazuza fez dupla de composição e vocal com o guitarrista Frejat, dupla essa que foi aclamada pelo público e crítica. O primeiro disco da banda foi gravado em apenas dois dias e lançado em 1982. O disco levava o nome da banda. No decorrer dos anos, já estabelecidos no cenário musical brasileiro, muitos sucessos viriam. “Exagerado”, “Codinome Beija-flor”, “Brasil” e “Faz parte do meu show”, eram alguns deles.

Cazuza sempre foi conhecido por seu comportamento boêmio e declarações polêmicas. Sua declaração mais chocante ocorreu em fevereiro de 1989, quando declarou publicamente ser soropositivo. A doença o levou a morte pouco mais de um ano depois, após uma infecção que causou falência circulatória. Mais de mil pessoas estiveram em seu enterro.

A morte de Cazuza ajudou a chamar a atenção para os perigos da doença e a importância da prevenção e tratamento adequado. No mesmo ano de sua morte foi fundada a “Sociedade Viva Cazuza” que visa proporcionar vida melhor a crianças soropositivas.

Comentários