Some misteriosamente no triângulo das bermudas o Voo 19

O dia 5 de dezembro de 1945, foi o dia em que o voo 19 ficou famoso quando misteriosamente desapareceu no triângulo das bermudas.

O voo 19 era uma esquadrilha de 5 aviões (Grumman TBM Avenger) da marinha americana que partiu da Base Aérea Naval de Fort Lauderdale, na Flórida, para uma missão de treinamento de ataque com torpedos no mar ao leste dos Estados Unidos e misteriosamente desapareceu sem deixar rastros no triângulo das bermudas. Um hidroavião de resgate enviado para as busca dos aviões desaparecidos também sumiu misteriosamente nesta ocasião.

Triângulo das Bermudas

A região do triângulo das bermudas é hoje conhecida por seus mistérios de desaparecimento de aeronaves e embarcações que por ali se aventuram. A área é conhecida como “triângulo” das bermudas por que sua área se delimita em forma de triangulo com vértices em Fort Lauderdale na Flórida, em Bermuda (ilha a leste dos Estados Unidos no oceano Atlântico) e em Porto Rico.

Apesar do voo 19 ser o evento de desaparecimento mais conhecido na área, há relatos de muitos outros desaparecimentos anteriores e posteriores a esse, alguns traçam a linha de mistério de volta no tempo até a época das grandes embarcações às Américas na época de Colombo. O local também sofreria com distúrbios no campo eletromagnético, o que impossibilitaria a leitura dos sistemas de localização e navegação (dependendo do equipamento usado).

Triângulo das Bermudas

O mistério do voo 19

Na ocasião do desaparecimento do voo as condições de voo eram perfeitas, a temperatura era de 18,3 graus centígrados, haviam apenas pequenas nuvens espalhadas pelo céu e ventos moderados. As cinco aeronaves da esquadrilha partiram entre 14:00 e 14:10, com muitas horas de luz do dia pela frente e combustível para horas de voo além do necessário para o cumprimento da missão. Os cinco aviões partiram com três tripulantes cada, com exceção de um dos aviões cujo operador de rádio teria tido uma mal pressentimento e desistiu da missão e não foi substituído. No total, 14 homens estavam no ar. O comandante da missão era o tenente Charles Caroll Taylor, que tinha a experiência de mais de 2500 horas de voo em aeronaves daquele tipo.

Após a simulação de bombardeio, por volta das 15:15, o Tenente Taylor entrou em contato com a base informando que estavam perdidos e que não conseguiam determinar o sua localização para estabelecer rota de retorno à base. A partir daí, a comunicação começou a falhar, sendo que os operadores da base escutavam a comunicação entre os pilotos da missão mas os pilotos não ouviam mais as instruções da base que não mais viam a localização das cinco aeronaves. O último a se comunicar com as aeronaves foi o tenente Robert F Coxx, que sobrevoava a região, mas foi instruído a voltar a base após tentativa frustrada de contato visual com as naves desaparecidas.

Dois hidroaviões foram enviados para a localização dos cinco bombardeiros no mesmo dia, o primeiro deles retornou à base depois de reportar os mesmos problemas com o sistema de navegação, o segundo partiu com treze tripulantes para uma missão de resgate e também desapareceu sem deixar rastro algum, há até relato de um navio que teria visto um avião com as características do hidroavião em chamas no ar, mas nenhum vestígio do avião ou da tripulação foi encontrado.

Este eventos do dia 5 de dezembro alimentam diversas teorias de conspiração, de ufologia, misticismo e inspira muitos filmes e livros até hoje.
5/12/1945

Comentários